"Não basta dizer que se é consciente de algo; é-se, também, consciente de algo como sendo algo"



sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

..:: Divagações: Última parada 174 ::..



"Pra quem vê a luz, mas não ilumina suas mini-certezas, vive contando dinheiro e não muda quando a lua é cheia... Que tão no mundo e perderam a viagem... Senhor, piedade! Lhes dê grandeza e um pouco de coragem."

Hoje, após muito tem
po
de comentários e indicações, assisti à "Última parada 174", filme que narra, não de maneira fictícia, mas poética [concebido assim nas minhas lentes] a história de Sandro do Nascimento, menino de rua que resiste à chacina da Candelária na década de 1990, no Rio de Janeiro, e se torna alvo das câmeras novamente tempos depois pelo sequestro do ônibus 174, na referida cidade, que tem o seu desfecho marcado pela morte de uma refém e do próprio Sandro. Breve sinopse colocada, me vi em mais um momento de reflexão, momento de recorrer àquilo que há de mais humano em mim e conceber a explicação para determinados fatos na história de vida deste mesmo humano que nos atordoa. Nem sei se sou justo, mas peço piedade, por aqueles que não tem a sensibilidade de perceber, como eu, quanto o humano que somos não se perfaz sozinho, mas num emaranhado de relações e de experiências múltiplas. Piedade, porque assim não estarei cometendo o mesmo erro, não estarei a julgar as histórias alheias, mas tentarei compreendê-las. Piedade a mim, por conceder-lhes compaixão, mas é que o humano que aqui habita não me permite ser diferente.

Hoje, uma década depois, relembro essa terrível história. Muito angustiado pela morte de Geisa, a refém, mas não menos pela morte de Sandro, o "marginal".

"Do rio que tudo arrasta se diz que é violento, mas ninguém diz violentas as margens que o comprimem!" - Bertold Brecht.

2 comentários:

  1. Olá maninho! Assisti esse filme e acho que sobretudo, ele, o filme, é a tradução da atual sociedade adoentada pelo capitalismo, desigualdade social, miséria... Adorei teu blog e estou te seguindo, caso queira seguir-me também, veja:http://asvozesdomar.blogspot.com/

    Paz e amor!

    Abç!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Sergio! Sinta-se sempre bem vindo!

    ResponderExcluir